Chez Cultura

VINHOS
Por: Cassio Machado

Douro - Portugal




Falaremos um pouco sobre o Douro, a belíssima região vinícola localizada no norte de Portugal.
Conhecida mundialmente pela produção do vinho do PORTO (nome da  principal cidade da região que empresta seu nome ao vinho fortificado ) é importante ressaltar que não só de vinhos do Porto vive o Douro, mas como  não falarmos do vinho que originou a  primeira região demarcada do mundo, ano de 1756. A região já era conhecida mundialmente pela qualidade dos seus vinhos e pelo intenso comércio dos mesmos.

Sobre o Vinho fortificado denominado " vinho do PORTO " trata-se de um vinho que durante seu processo de fermentação é adicionado aguardente vínica, tornando-o "fortificado" essa adição de aguardente dá ao vinho um teor alcoólico maior, em torno de 21 graus.
Temos diferentes tipos de vinho do Porto, abaixo uma breve apresentação que pode ser útil.

Vinho do Porto sem data de colheita:
Estes vinhos são o resultado da alquimia, do estudo e sobretudo de muitas provas para encontrar o equilíbrio ao juntarmos diferentes colheitas para a elaboração do vinho pretendido. Neste momento, fica explicita a importância do homem na criação do vinho.

Ruby:
É o mais simples (se podemos chamar de simples, um vinho com a história do PORTO), a idéia aqui é termos um vinho jovem, alegre e que nos mostre toda a fruta. Tem aromas primários, e corpo cheio.

Tawny:
Obtido através da mistura de lotes que estagiam em madeira mais tempo que o Ruby, esse vinho tem uma cor mais "atijolada" "aloirada" proveniente da oxidação que acontece naturalmente na sua passagem em madeira. Os Tawnys com mais envelhecimento podem também trazer as seguintes classificações; FINE,SUPERIOR ou ESPECIAL que não referem-se à sua qualidade e sim a um maior tempo de guarda, outras classificação como OLD, EXTRA ou VELHO, devem ter envelhecimento próximo aos 7 anos.
Temos também os Tawnys de 10 anos, 20 anos, 30 anos e mais de 40 anos, resultado de várias colheitas e vários lotes. a idade é sempre uma média dos vinhos usados para a mistura.

Colheita:
Como o nome diz, trata-se de vinhos feitos a partir de uma safra específica, geralmente uma safra muito especial. O Colheita é basicamente um Tawny de uma única safra e que estagia no mínimo sete anos em madeira. Há muito rigor e cuidado na produção desse Porto, pois ele representará um ano, uma safra, uma colheita.



Late Bottled Vintage, ou simplesmente, LBV:
São provenientes de uma rigorosa seleção das melhores zonas de produção e estagiam de quatro a seis anos, têm cor avermelhada, aromas frutados e corpo rico. Tem data para ser engarrafado ( entre 1 de Julho do 4 ano e 31 de Dezembro do 6 ano ) Em muitos casos podem apresentar sedimentos.

Vintage:
Na minha opinião uma das mais rigorosas seleções de uvas de todo o mundo vitivinicola, trata-se de uma jóia! uma seleção de lotes, de uvas e de anos que sejam excepcionais. É feita uma única colheita, passa até três anos em madeira e normalmente temos apenas três Vintages a cada dez anos.
Cheio de aromas, sabores e retro-gosto, esse Porto é a representação máxima da natureza, da qualidade da uva e da qualidade da vinícola.
Um Vintage começa a se mostrar, a apresentar sua exuberância depois de 15 anos. e sua longevidade ainda é difícil de estimar.


Ah, não poderia deixar de citar o Porto branco, fresco e bastante frutado. Ele é feito da mesma maneira do tinto. o Extra seco é ideal para o inicio da refeição.

Ao contrário do que muitos pensam, o vinho do Porto é muito versátil, podendo ser usado para acompanhar pratos como Cabrito, Porco, Coelho, Perdiz, defumados em geral e até mesmo Bacalhau.

Fica aqui uma dica, Graham's, simplesmente a mais reputada casa de Porto, para os maiores especialistas, tem qualidade e prestigio insuperáveis. Seu Vintage 2000 é para a revista americana Wine Spectator um dos 100 melhores vinhos do mundo!